Serviços em saúde
Urologia, Nutrição, Auditoria e Gestão.
(51)99745.2282 (51) 3599.5403

Leitura Recomendada

   Sofro de pedra nos rins e frequentemente tenho de ir à emergência para receber medicamentos para dor. Como posso resolver esse problema?

A litíase urinária (conhecida como pedra nos rins ou cálculo urinário) é um problema muito comum que determina um impacto negativo sobre a qualidade de vida dos indivíduos. Pode ocorrer em qualquer ponto da via urinária, desde os rins, passando pelos ureteres e chegando na bexiga e uretra, tanto em homens, quanto em mulheres. Caracteriza-se por alta recorrência, chegando a 50% em cinco anos. Cerca de 90% dos cálculos têm como composto básico o cálcio e os demais 10%, o ácido úrico. Dentre os fatores predisponentes, temos os hábitos alimentares, tais como a pouco ingesta de água e frutas, o alto consumo de sal e de proteínas, os comportamentais, os fatores metabólicos, as infecções urinárias, as doenças inflamatórias intestinais, a hereditariedade, dentre outros.

O diagnóstico é realizado por meio de uma consulta médica, quando serão identificados os sinais e os sintomas sugestivos de que a pessoa é portadora de cálculo urinário. A partir disso, alguns exames poderão confirmar o diagnóstico, tais como sangue, urina, raios-X, ecografia e tomografia do abdome (considerada o melhor exame para identificar a pedra e programar o tratamento).

Para evitar as crises dolorosas e melhorar a qualidade de vida, os cálculos urinários devem ser tratados, dependendo de seu tamanho e localização. As alterações metabólicas são corrigidas de acordo com o caso específico.

Dentre as técnicas atualmente mais empregadas para o tratamento de pacientes portadores de cálculo urinário, temos a litotripsia extracorpórea, a ureteroscopia e a cirurgia renal percutânea. A litotripsia extracorpórea é realizada através da aplicação de ondas de choque focadas diretamente sobre a pedra, com o objetivo de fragmentá-la o suficiente para ser eliminada naturalmente com o fluxo urinário; é um procedimento não invasivo, de baixo risco e com possibilidade de retorno muito precoce às atividades. A ureteroscopia aborda a via urinária pela uretra e ureter, para chegar à pedra por endoscopia e fragmentá-la través de laser; já a cirurgia renal percutânea consiste em acessar o rim através de uma pequena incisão na pele, identificação, fragmentação e retirada da pedra. A videolaparoscopia é uma alternativa para alguns casos. A abordagem aberta convencional raramente é utilizada nos dias atuais. Como medidas gerais de prevenção, devemos estimular a ingestão hídrica e o consumo de frutas cítricas, bem como diminuir o sal e as proteínas de origem animal da dieta; atualmente, sabemos que não devemos restringir o consumo de cálcio.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Eu e minha esposa temos 3 filhos e estamos pensando em planejamento familiar. O que devemos fazer?

Planejamento familiar consiste em atitudes que contribuem para a saúde do homem e da mulher e que permitem ao casal escolher quando e quantos filhos querem ter. Segundo a Constituição Federal do Brasil, fundado nos princípios da dignidade da pessoa e da paternidade responsável, o planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva por parte de instituições oficiais ou privadas. Dentre as inúmeras opções de métodos contraceptivos disponíveis existem os definitivos e os reversíveis. Os reversíveis são os anticoncepcionais orais ou injetáveis, o dispositivo intra-uterino (DIU), o preservativo e outros. Por outro lado, os ditos definitivos incluem a ligadura tubária e a vasectomia.

A vasectomia é a cirurgia que deixa o homem estéril (esterilização masculina). De acordo com a lei 9.263, de agosto de 1997, sobre a regulamentação do planejamento familiar, a vasectomia é indicada para homens acima de 25 anos ou, pelo menos, com dois filhos vivos ou nos casos onde a gravidez do cônjuge poderá gerar risco de vida. O homem e sua parceira devem estar seguros de sua decisão e, principalmente, felizes e contentes um com o outro. É uma cirurgia realizada sob anestesia local em nível ambulatorial, com pequena incisão na bolsa escrotal. O procedimento consiste na secção (corte) e ligadura dos ductos deferentes, estruturas responsáveis por conduzir os espermatozóides na ejaculação. Em seguida, após o procedimento, o homem pode voltar para casa. Em geral, o pós-operatório é bastante tranquilo e os pacientes podem voltar às suas atividades normais. É solicitado repouso sexual por uma semana e deve ser realizado um espermograma (exame do líquido seminal) depois de um determinado número de ejaculações para averiguar o sucesso da cirurgia. Tal sucesso é confirmado pela ausência de espermatozóides no ejaculado (azoospermia). Enquanto não estiver comprovado o sucesso (azoospermia), o casal deve manter outros métodos contraceptivos, a fim de evitar uma gravidez.

Embora deva ser considerado um procedimento irreversível, sabemos que a reversão da vasectomia pode ser realizada, com taxas muito variáveis de sucesso, envolvendo técnicas especializadas de microcirurgia em ambiente hospitalar.

Enfim, a vasectomia é um procedimento tecnicamente simples e seguro, com pouco desconforto para o paciente e um excelente método contraceptivo. Se o casal tem dúvidas a respeito de como realizar seu planejamento familiar, deve procurar um urologista ou ginecologista para aconselhar-se. Se optar pela vasectomia, procure um urologista e tire suas dúvidas. Planejamento familiar consciente é muito importante para a saúde do casal e sua família e demonstra, inclusive, responsabilidade social.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Tenho 22 anos e estou sentindo muita ardência para urinar. Isso começou após eu ter relações sexuais sem camisinha com uma nova parceira. O que pode ser?

O sintoma descrito refere-se à disúria, que significa dor ou desconforto para urinar. Tal sintoma associado com o fato de ter relações sexuais sem preservativo faz-nos pensar em uretrite. Mais comumente, a uretrite é causada pelo gonococo (gonorréia) ou pela clamídia. Algumas vezes, essa duas bactérias estão presentes simultaneamente.

A gonorréia é causada por uma bactéria conhecida por gonococo. Apresenta-se inicialmente com dor e ardência uretrais durante a micção, depois aparecendo uma secreção espessa e mal cheirosa, com aspecto de pus, em geral três a cinco dias após contato sexual com parceira contaminada. Se não diagnosticada e tratada adequadamente poderá evoluir para complicações importantes, desde inflamação crônica da próstata até infertilidade.

Já na uretrite causada pela bactéria chamada Chlamydia tracomatis os sintomas aparecem cerca de sete a dez dias após o contato sexual, como uma secreção esbranquiçada, inodora e um tanto fluida, quase sempre sem sintomas de ardência ou prurido uretrais. Pode também permanecer com sintomas muito discretos, apenas, o que contribui na maioria das vezes para a postergação do tratamento pertinente, culminando com complicações indesejáveis, como por exemplo, infertilidade.

Nesse caso, o aconselhado é consultar um médico, fazer alguns exames e iniciar o tratamento o mais rápido possível. Além disso, é de suma importância orientar que a parceira deverá também consultar e iniciar o tratamento para evitar novas contaminações.
Como prevenção, ressaltamos a importância do uso da camisinha (preservativo) como método altamente eficaz para evitar as doenças sexualmente transmissíveis.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Tenho 47 anos e meu tio recebeu o diagnóstico de câncer de próstata. Estou preocupado com o que devo fazer para minha prevenção.

O câncer de próstata é a neoplasia visceral mais frequente no homem, chegando a mais de 40% dos tumores que atingem os homens acima de 50 anos.

A presença de câncer de próstata em um parente de primeiro grau aumenta o risco do indivíduo em quase três vezes para esta neoplasia.

Como a maioria dos tumores iniciais da próstata é assintomática, o diagnóstico precoce é realizado através de exames periódicos de PSA (antígeno prostático específico) e de toque retal da próstata. Estes exames são complementares e um não substitui o outro. O PSA é específico da próstata e pode estar aumentado em algumas situações que não o câncer, tais como a hiperplasia benigna e as prostatites.  

Para confirmar o diagnóstico quando o PSA está elevado ou o toque retal está alterado indica-se a realização de biópsia da próstata.

A recomendação é de que os homens acima de 40 anos com história familiar positiva para câncer de próstata ou acima de 45 anos sem história familiar façam os exames anualmente para a detecção precoce.

Quanto às medidas preventivas, devemos evitar a obesidade, reduzir o consumo de gorduras, aumentar a ingestão de frutas e de verduras, bem como praticar atividade física regularmente, além de não fumar e evitar bebidas alcoólicas.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Meu marido tem 58 anos. Sempre tivemos uma vida sexual ativa, mas nos últimos anos ele tem sofrido de impotência sexual. Como posso ajudá-lo?

A disfunção erétil, usualmente referida como impotência sexual, é definida como a incapacidade persistente de obter e manter uma ereção suficiente para uma função sexual satisfatória. Apresenta forte impacto negativo sobre a qualidade de vida tanto do homem, quanto da mulher, sendo, portanto, uma afecção do casal. Ele deve consultar um urologista para avaliar as possíveis causas para tal disfunção, tais como transtornos psicogênicos, tabagismo, diabetes, hipertensão, dislipidemia, doença vascular ou neurológica, deficiência hormonal, uso de alguns medicamentos, dentre outras. Alguns exames deverão ser realizados para uma investigação inicial. A partir do diagnóstico estabelecido, medidas terapêuticas poderão ser oferecidas. Atualmente, existem diversos medicamentos que podem ser prescritos pelo médico para melhorar a ereção. Como medidas gerais, devemos estimular a prática de exercícios físicos, consumir uma dieta equilibrada, combater a obesidade, não fumar e evitar bebidas alcoólicas.  É fundamental a participação da parceira para o sucesso do tratamento.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   O que significa e quando inicia a andropausa?

O termo andropausa denota a suspensão da produção do hormônio masculino, a testosterona.

Atualmente, considera-se este termo incorreto, pois, ao contrário do que ocorre no organismo feminino, a função testicular e a produção hormonal diminuem lenta e progressivamente, não ocorrendo de uma forma abrupta e completa.

Na verdade, consideramos a denominação correta como DAEM (Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino), afecção que pode chegar a até 30% dos homens com 60 anos.

A DAEM caracteriza-se por uma diminuição gradual dos níveis sanguíneos de testosterona que ocorre junto com o envelhecimento, estando associada à importante diminuição da qualidade de vida.

De uma maneira geral, inicia-se ao redor dos 40 anos de idade e o indivíduo percebe como principais sintomas a perda ou a diminuição do prazer (libido), disfunção erétil, depressão, fadiga, diminuição da massa muscular, rarefação de pelos, obesidade e   alterações do humor e do sono. Seu diagnóstico define-se a partir da presença destes sintomas associados com a redução dos níveis de testosterona (medida obtida através de exames de sangue).

Seu tratamento consiste em reposição de testosterona através das diversas apresentações comerciais disponíveis. Tal reposição, entretanto, deve ser realizada apenas sob prescrição e orientação médicas, uma vez que devemos estar atentos para as indicações e os possíveis riscos e complicações.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Tenho 37 anos e não posso frequentar a academia, porque quando realizo esforço físico perco urina. Isso me incomoda muito. Será que tem tratamento?

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina. Ela atua de forma negativa na qualidade de vida da paciente, mas pode ser adequadamente tratada. Devido à fragilidade da musculatura de sustentação dos órgãos pélvicos e à anatomia da uretra feminina, a incontinência urinária na mulher é muito frequente. É mais comum após a menopausa, quando todo esse assoalho fica ainda mais debilitado pela falta do hormônio feminino, o estrógeno.

Existem três tipos de incontinência urinária. A de esforço é o tipo mais comum. Neste tipo de incontinência, a perda urinária ocorre durante aumento da pressão abdominal (tosse, espirro, exercício físico). Já a incontinência urinária de urgência é a que ocorre por meio de uma vontade súbita e urgente de ir ao banheiro, mas não consegue chegar ao sanitário a tempo de evitar a perda de urina. Por último, o terceiro tipo é a incontinência mista, a qual associa a incontinência de esforço à de urgência.

O tratamento vai depender do tipo e das causas da incontinência urinária. Dentre as opções atualmente disponíveis, podemos incluir mudanças no estilo de vida, medicamentos, fisioterapia e cirurgia.

O mais importante é saber que há tratamento e que as mulheres que sofrem com a incontinência urinária devem procurar uma ginecologista ou um urologista para fazer uma avaliação inicial.

 

Dra. Fabiane Pinto Mastalir – CREMERS 30961
Ginecologista e Obstetra

fechar
   Tenho 34 anos, sou casada, trabalho e tenho uma vida normal, exceto por sofrer vários episódios de infecção urinária (cistite). Por que isto ocorre e o que devo fazer para evitar?

A infecção urinária é a infecção bacteriana mais comum do ser humano. As infecções urinárias não complicadas do trato urinário inferior, tais como a cistite, costumam causar dor ou ardência para urinar, aumento da frequência urinária, além de causar urina de odor fétido e de cor escura. Seu tratamento, que deve ser baseado em exame de urina com identificação do germe agressor e sua sensibilidade a antibióticos, geralmente é efetivo e eficaz. Entretanto, algumas mulheres apresentam alta recorrência desta infecção, impactando negativamente sobre sua qualidade de vida. Nestas situações, é necessário fazer alguns exames para descartar fatores predisponentes, tais como cálculos urinários (pedras), lesões no trato urinário, hábitos de vida inadequados e disfunções miccionais, dentre outras. Na presença destes fatores, os mesmos devem ser tratados. Em algumas situações está indicado o consumo de suco de Cranberry, o uso profilático de antimicrobianos ou até mesmo a prescrição de uma vacina atualmente disponível. Como medidas gerais, devemos enfatizar a higiene e a limpeza da uretra sempre no sentido da frente para trás, evitar a utilização de duchas e esvaziar a bexiga com freqüência, principalmente antes e após as relações sexuais.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
   Meu filho de 26 anos sofre de pedras nos rins. Atualmente ele tem uma pedra de 1,2cm no rim direito. Diversas vezes ele teve de ir à emergência para ser medicado. Com as crises, falta ao trabalho e está sofrendo muito. O que devemos fazer?

A litíase urinária (pedra nos rins) pode ocorrer em até 5% das pessoas, dependendo da população avaliada. Caracteriza-se por alta recorrência, chegando a cerca de 50% em cinco anos. Cerca de 90% dos cálculos têm como composto básico o cálcio e os demais 10%, o ácido úrico.
Para evitar as crises dolorosas e melhorar a qualidade de vida, este cálculo deve ser eliminado.

Dentre as técnicas atualmente disponíveis, a litotripsia extracorpórea (LECO) assume a primeira opção, ficando como alternativas a cirurgia renal percutânea ou endoscópica, a videolaparoscopia e a cirurgia aberta convencional.

A LECO consiste de aplicação de ondas de choque focadas diretamente sobre a pedra, com o objetivo de fragmentá-la o suficiente para ser eliminada com o fluxo urinário. É um procedimento não invasivo, de baixo risco e com possibilidade de retorno muito precoce às atividades. Como medidas gerais de prevenção, devemos estimular a ingestão hídrica e o consumo de frutas cítricas, bem como diminuir o sal e as proteínas de origem animal da dieta; atualmente sabemos que não devemos restringir o consumo de cálcio.

 

Dr. Eduardo Mastalir
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
CREMERS 26550

fechar
2021 © Mastalir Serviços Médicos.
Desenvolvido por UnionCom.